quarta-feira, 14 de maio de 2008

Decupagem, sabe o que é?


Como poderíamos mudar algo que nos é imposto?
É difícil, muitas vezes, entender o porquê das coisas! Bom, nessa semana encontrei dificuldades comigo mesma e meus ‘achômetros’, coisa boba, talvez, algo que poderia não fazer diferença, mas enfim, são essas coisas bobas que deveriam ser feitas com maior facilidade. Se é assim com esse tipo de coisa, como seria então resolver as outras mais complexas? (Risos)
Temos que rir mesmo, deixar de lado, ou, fingir, que, isso não esta acontecendo, ate mesmo, acreditar, como tantos, que as pessoas ainda irão mudar.
Acreditem, dei um duro para programar, marcar e entrevistar um cidadão e, na esperança de que tudo desse certo com minha matéria, na hora de *decupar a fita, cheguei ao local onde aconteceria tal catástrofe (Risos), se nos atentarmos ao nome da coisa, da pra ter medo. ’Decupagem’, fala sério, esse nome daria até para perguntar; - isso é de comer ou passar no cabelo? Mas eu, acostumada com essa palavra no meu pequeno vocabulário, ainda pensei que, realmente, conhecia a tal palavra. Enganei-me, mais uma vez, depois de 21 anos, eu estava novamente errada sobre algo, agora, essa palavra significaria, ‘dificupagem’, coisa que nem existe no vocabulário português, mas deveria existir. (Risos)
Chegando na ilha de edição, o editor estava saindo e o mais incrível é, ver a importância que ele deu ao que me interessava, Ou não, seria uma ironia dizer isso, pois, ele somente me disse.
– Olha, to super atrasado, já to de saída. Depois resolvemos seu problema.
Observando tal atitude, por um lado, aquilo, interessava a mim, não á ele. Ele estaria certo. Olhando por vários ângulos agora, posso ver que muitas coisas somente interessam a nós mesmos, porque então, preocupar com o interesse alheio?
Cada um poderia cuidar de sua vida e resolver seus próprios problemas, e eu era uma dessas, que precisava entender essa verdade. Pareço tão jovem, mas com minha idade já poderia ter aprendido sobre essas regras, para não precisar passar por isso em atual conjuntura. Assim, preocupando com nossa pessoalidade, talvez, teríamos mais resultados e, passaríamos menos raiva.
Numa empresa cada um tem seu papel, sendo que todos de alguma forma ajudam todos. Será que somente o fazem, mesmo que obtendo resultados que ajudem outrem, por dinheiro, ou, por qualquer outra coisa que não seja pensar, verdadeiramente, no próximo, na pessoa que senta ao lado ou que conversa todo santo dia, e todo dia santo? Será nosso único objetivo terminar nosso trabalho e ir pra casa? Claro, me esqueci do salário. Pegar o salário e pronto, missão cumprida.
Achei aquilo tudo um absurdo. Porque ele não perguntou se eu precisaria daquela matéria com urgência? Ou talvez, porque não me dar esperança dizendo quando iria voltar e liberar os equipamentos pra mim? Não, menos, porque ele não parou pra conversar, não precisava de muito tempo para tranquilizar meus neurônios, cai entre nós, 2 minutos não é nada perto do que ele perderia no trânsito. (risos)
Ah como somos inocentes, relembrando sobre nossas raízes, o ser humano ainda pode ser chamado de indivíduo, esse, que na maioria das vezes, é individualista. Infelizmente essa ainda e uma realidade.
Pra mim não, agora, não mais, vou mudar, não quero ser assim, e você, pode também não ser, se isso mudar dentro de você, mas, lá dentro mesmo (risos). Pelo menos tentar, o que nos custaria, ser mais atentos, chamados, de seres humanos e não, indivíduos. Como diz em 29; 15, ‘’Quero ser olhos para os cegos e pernas para coxos’’. Acredito que, ainda exista um olhar diferente, caridoso, onde, antes de olharmos para nós mesmos, possamos olhar para o indivíduo, ops, esqueci que não referiremos mais ao ser humano dessa forma. Assim como nós, quem esta do nosso lado também precisa do básico, ‘bom dia’; Do indispensável, ‘posso ajudar’.
O que a sociedade e o tempo nos impõe é, justamente a correria, a pressa do dia-a-dia, o individualismo, o conselho do avô, do tio, do parente, do professor, de fazer para , porque ninguém fará por você. E isso, é o que nos ensinam nas universidades em relação ao mercado de trabalho também. Cada dia mais, a imposição de nos mantermos individualistas, se torna subliminar.
Respondendo minha pergunta do início de minha reflexão. Quando fizermos com nosso próximo, o que gostaríamos que fizessem conosco, encontraremos a solução de mudar algo que nos é imposto. E os (risos) durante o dia seriam mais felizes.

*Decupar- Linguagem cinematográfica que busca captar ideias e pensamentos e transformá-los em imagens, utilizando planos e enquadramentos. Possibilita a melhor visualização do que os autores pretendem transmitir. De origem francesa, a palavra decupar vem de découper (cortar em pedaços). O que se faz é dividir cada cena em planos.

BjoBjo

9 comentários:

Glauber Felipe disse...

Mto massa teu post...
Realmente as pessoas deveriam se importar mais com as outras. Todo mundo tá ligado nos seus próprios valores... no que realmente é importante pra si.
Eh uma defesa natural dos "valores pessoais" e AI DAQUELE QUE FERIR O VALOR DO OUTRO... sempre é assim, infelizmente. Individualismo.

Agora eu realmente acho que o carinha da ilha de edição devia ler seu post... no mínimo, ele aprenderia a dar valor para os outros.

Eh como deixar de dizer a um filho o quanto lhe ama e, no dia seguinte, ele estar morto na cama e ter perdido a oportunidade de dizer o quanto ele era importante para o pai.

=)

Deus t abençoe REBECCA
:D

lidisato disse...

Rebeca!

Bom, decupar é mesmo um tédio, olhar a imagem, prestar atenção no timecode, anotar o timecode e a deixa da imageme entrevistado, uma fita de 30 minutos demora quase duas horas para ser decupada, isso assim, em uma ilha boa, e pensando também na possibilidade de podermos ter acesso as ilhas, ahuaha.
Creio que onde você esta falando é a nossa querida universidade, bom,meu programa, minhas matérias estão na gaveta por não ter como editar lá... Penso nas meninas que fizeram tudo e os técnicos perdaram o programa pronto, hehehe.
A questão do ser, do individuo, estava pensando sobre isso no trânsito hoje voltando para casa, será que realmente o ser humano ainda tem cura? será que já não foi dado como perdido e um novo diluvio não seria interessante? (mesmo sabendo que não virá mais diluvios.
Eu tento fazer minha parte, falo bom, pergunto se esta tudo bem,se posso ajudar e tudo mais... só que eu fazendo/perguntando e "você" não aceitando adianta?
Enfim, huahuaha..
Bjão

Thiago disse...

Muito boa a definição em contraste com a história. Realmente falta muito para as pessoas se tornarem melhores... mas ainda acredito na mudança, afinal de contas nunca é demais esperar pelo melhor.
O blog tá ótimo, maravilhoso, aproveita e visita o meu também. Um grande BeijO

thayane disse...

Muito interessante a história moça!Muito bowa a sua reflexão!seu blog está lindo, e bem interessante!

Que Deus te ilumine sempre!

bjs

caroline disse...

Te adoro!!!Você é muito inteligente...Minha candidata preferida do Aprendiz!
Visita aí meu orkut
Você é linda...Linda...Linda.

Karina disse...

Voce escreve perfeitamente bem.

Anônimo disse...

Vc é uma escritora nota 10!! Deus te use mais e mais! Estou impressionada com sua sabedoria... vc é tão novinha, mas tão experiente... Deus te abençoe!

Anônimo disse...

Amei sua reflexão!! Foi direta para mim, pois aconteceu comigo há dois dias atrás algo parecido: Na intenção de ajudar um proximo na Academia que malho, fui mal interpretada e passei por displincente. Na hora, fiquei indignada! Pensei em revidar... mas lembrei de Jesus. Lembrei do que Ele aguentou calado apenas por amar. Isso me deu força para seguir em frente, e esquecer o ocorrido. O que importa é que Jesus entendeu a intencção do meu coracão. Meu melhor amigo me entende!
Um bju Rebeca linda!

raphael marques disse...

pensou q esqueci de vc né,parabens,quero ver voce brilhar em uma tv,lembrese de mim